quarta-feira, 16 de fevereiro de 2011

"sex, drugs and PEACE"


quando era criança lembro-me de ir à missa e, na altura em que nos ajoelhávamos para "pedir" algo, uma das coisas que pedia era paz no mundo, que não houvesse mais guerras. para mim, paz era apenas isso... acabar a guerra em timor ou no iraque e libertar-se um pomba branca por cada aliança de paz criada.
hoje, finalmente percebo que paz é muito mais do que não haver guerra. sentir-me bem comigo própria, olhar-me ao espelho e gostar daquilo que vejo, ir pra escola sempre com a cabeça levantada pronta pra mais um dia, cair, levantar-me e dar a volta aos meus problemas, ajudar os meus amigos com os problemas deles, dar alegria a esta casa da maneira que posso, poder rir, cantar, dançar, tocar guitarra, fazer desporto até à exaustão e gostar dos resultados, tudo isto, todas estas coisas maravilhosas são uma forma de paz que mantém o meu espírito, a minha alma sempre leve e cheia de boas energias, o que me proporciona uma vida descansada e feliz, independentemente de todos os caprichos da minha adolescência, que por vezes são capazes de atormentar a minha alma e por em risco a sua tranquilidade mas que, felizmente, são sempre vencidos pela enorme força interior que possuo!
um dia que me vejam a chorar não fiquem muito preocupados, pois é das coisas que mais gosto de fazer na vida, pelo simples facto de me esvaziar a mente de todos os seus diabinhos e de lhe esticar uma mão quando se encontrara caída no meio do nada.
quando for velhinha e voltar aos domingos de missa, vou voltar a pedir paz. mas além de pedir a paz para acabar com a guerra, vou também pedir paz para manter o meu espírito jovem durante muito mais tempo. porque o corpo envelhece, mas a alma permanece sempre jovem. a receita é: enfrentar o problema, chorar um pouco, respirar fundo e sorrir. vos garanto que no fim, o resultado vai ser nada mais nada menos que uma vida, embora já no seu fim, deliciosa e cheia de batalhas vencidas!

Sem comentários: