sábado, 3 de dezembro de 2011

Entre a espada e a parede



Tenho-me apercebido que quanto mais penso, mas dúvidas tenho. É como que se a minha parte intelectual se virasse para a minha parte emocional e dissesse "Hello! Acorda para a vida! Nunca irás ter sucesso por esse caminho!".

Cada vez que se toca no assunto ou em assuntos que o roçam, vem sempre à tona a ideia de insucesso, infelicidade e frustração. A verdade é que cada vez mais a razão se sobrepõem ao coração e as dúvidas aumentam com o aproximar do veredicto final. É a decisão de uma vida, aquilo que vai ditar os meus dias até à minha morte, e vendo as coisas deste modo, é com grande medo e responsabilidade que me deparo.

Mas esquecendo um pouco a razão, cada vez que penso numa segunda hipótese, nada me vem à cabeça. O meu cérebro pára no tempo, estático e silencioso. E são estas variações de pensamentos e sentimentos que fazem a minha cabeça andar a mil, pois se há coisa de que tenho medo é de no momento da decisão, a razão se sobreponha ao coração e eu faça a pior escolha e que me arrependa dela para o resto da minha vida! É que eu só tenho 17 anos, ok? Vida, será que podes facilitar um bocadinho as coisas? Só de pensar nisto já fico com comichão no dedo mindinho do pé...

E quem tem culpa? Acho mesmo que é o F. Pessoa. O estudo exaustivo da sua obra e o teste de hoje levam-me à loucura e fazem-me parecer como ele... A única diferença é que ele era maluco quando se metia no ópio! Eu sou maluca por mim mesma por deixar que estes fantasmas me tapem o caminho da felicidade!

2 comentários:

Caridee disse...

mas que é isso? Fernando Pessoa não era maluco (e não era esse o do ópio, o do ópio era Álvaro de Campos) lol
E F.Pessoa precisava da emoçao para entreter a razao, todos precisamos. Portanto não te decidas pela razão, porque senõ vais sentir que n seguiste o teu sonho e vais-te sentir frustrada (maybe). Achas que eu não vejo o olhar de desaprovação na cara das pessoas quando digo que queros eguir jornalismo, aquele ar de "oh coitada, lá vai ela para o desemprego" mas eu não ligo, há sempre uma soluçao para tudo. se é o que tu queres, segue essa vontade, porque sem paixão de que serve um bom trabalho, ter dinheiro na conta? não serve para nada
cheer up girl, an amazing future is expecting you

Inês disse...

eu sinto o mesmo quando digo que quero desporto. e ultimamente com o aproximar da decisão, tenho ficado sempre muito pensativa e receosa do meu futuro. mas sei que a decisão final vai ser com base no coração, e irei seguir o meu sonho. há sempre lugar para os melhores! ;)