quarta-feira, 1 de fevereiro de 2012

A melhor música de intervenção dos tempos actuais


*Refrão*

« Andam-nos a tentar enganar, aldrabar a roubar, eu sei.
Será que nos vamos aguentar ou virar uns fora da lei?
É sentires que o teu tempo, não vale o teu sustento.
É querer olhar de frente o futuro e o presente, ó senhor presidente.

A multidão num cinema mais um imposto se aproxima
Quantos mais lá virão até eu acabar esta rima.
Comprima o orçamento que já não é nada
e mande a criança p'rá escola com um copo d'água.

Ó pai tramado o que nos está a acontecer?
Tanta glória passada e tanto lixo a aparecer.
Como vamos explicar à proxima geração,
os espinhos que vivem nos cravos da revolução.

Andam a brincar com a nossa vida à tanto tempo
agora são discursos de pesar e de lamento.
Tento, mas eu não me aguento
a ganhar quinhento com uma vida de seiscento.

Tudo tem aumento menos os salários,
são assembleias a fazer de nós otários.
Venham mais salafrários, chulos aldrabões
quando o mar bate na roxa quem se lixa é os mexilhões. »

*Refrão*

4 comentários:

Francisco Teixeira disse...

Isto merece milhoes de cogumelos deliciosos (:

Inês disse...

Lembro-me sempre de ti agora quando ouço isto! Então bota aí cogumelos xD

Toni dos bifes disse...

É verdade. Bezegol é qualquer coisa de muito bom, embora claro, haja por aí muito boa música de intervenção de outros tempos, mas não menos actuais.

Inês disse...

Sim, Zeca Afonso é o rei das músicas de intervenção. Mas dos tempos actuais, Bezegol tem esta música mesmo boa! Eu referi isso :P